GENTILEZA – Porque dizer bom dia também faz bem a saúde

SB - Gentileza Olá!

 Por um acaso você já se perguntou o que ocorre com as pessoas no fim de ano? Fala-se tanto do “espírito natalino”, da “energia da virada de ano”, mas até chegar o dia das comemorações, a troca de presentes e a meia noite do dia 31 de Dezembro, o mundo parece virado em um caos social.

 A correria contra o relógio consegue ser maior do que já é normalmente. A temporada de compras vira tortura. Centros comerciais e shoppings transformam-se em verdadeiros formigueiros humanos. Filas para tudo e para todos os lados. Os engarrafamentos, se é que é possível, ficam ainda piores. E a gentileza… Ah, a gentileza. Onde ela vai parar mesmo?

 Um professor de economia de Harvard, nos Estados Unidos, realizou pesquisas sobre a gentileza e constatou que a mesma era algo considerado fundamental para a sobrevivência das sociedades antigamente. Segundo os estudos desenvolvidos por ele, ser gentil regula as nossas emoções, causa impacto positivo na saúde e manda para longe ressentimentos, raivas, dores, medos… É realmente uma virtude. Em um mundo onde as pessoas muitas vezes parecem ter sido contaminadas pelo inseto do mal-humor, um sorriso sempre é bem-vindo e faz diferença.

 Quem pratica a gentileza no dia a dia sem escolher quem, hora, data ou pagamento para ser educado, simpático ou agradável, além de estar fazendo bem para si mesmo, faz bem para todos que estão ao seu redor.

 Todo mundo gosta de motoristas que cedem passagens em ruas movimentadas, pessoas que em um ônibus lotado se levantam para dar lugar a alguém que parece cansado, gente que ajuda um estranho com dificuldade atravessar a rua. Pessoas dispostas a carregar sacolas para quem não tem mais mãos vazias, ou simplesmente alguém que se propõe a dar bom dia e dizer obrigado.

 Não deixe para cumprimentar o vizinho de manhã ou dar bom dia para o porteiro só na época de Natal. Se o tal “espírito natalino” é o que se precisa para fazer o bem, a gente deveria fazer de conta que é Natal o ano inteiro.

Deixe uma resposta